Fone: (41) 3027-0552 / (11) 4063-1421 / (21) 4063-6402 | Fax: (41) 3077-9889 | Nextel: (41) 7811-8929 ID 120*19588

Blog

Trilhas & Cobras

 

 

Há tempos circulou na web a foto de uma cobra destroçada por um motor ao ser ligado. Parece coisa de filme, mas existem situações piores. Em minhas viagens pelo Brasil escuto casos de toda sorte envolvendo cobras em trilhas, pastos e florestas. Vamos conferir alguns:
O motorista dirige um 4x4 com as janelas das portas abertas em trilha fechada, o carro segue raspando no barranco pelo lado esquerdo. Uma cobra cai em seu colo lhe picando três vezes até que consegue se desvencilhar da carona inesperada.
Em outra ocasião o motorista segue por uma estrada de chão e mais adiante atropela, ou acha que atropela, uma cobra que surgiu entre as folhas caídas na estrada. Ao chegar no destino desce da pick-up, dá a volta por trás do carro e quase é picado na altura da coxa esquerda pela metade que sobrou da Jararaca que ficou presa no chassi. A metade da frente é logico.
Tem aquele caso do funcionário que estaciona o carro na floresta, deixa a porta da pick-up aberta e segue para fazer sua inspeção de rotina. Ao embarcar no carro e seguir adiante logo vê de carona uma linda Jiboia passeando pelo assoalho.
E para terminar houve o caso de um engenheiro que viajava pelo deserto do Arizona (USA), parou a pick-up para descansar e admirar a paisagem. Sai do carro, deixa a porta aberta e ao se colocar de pé, escuta um baque ao seu lado direito. Leva um susto enorme ao ver uma cascavel, que desliza lentamente pela porta, espelho retrovisor e vai ao chão.  Escapou das garras de uma águia e veio se esborrachar quase em cima da cabeça dele.
O que quero dizer com todas estes fatos é que jamais se descuide no mato, não coloque a mão em qualquer moita para ver o que tem embaixo, não coloque cintas de resgate em árvores sem antes conferir se em volta está seguro e se acostume a usar perneiras quando for para o mato. Elas protegem você de picadas até a altura dos joelhos.
Pernoites na mata também reservam surpresas, o compartimento aquecido do motor pode atrair cobras. Antes de dar a partida logo cedo, abra o capô e confira com cuidado, se houver alguma surpresa enrolada no meio das correias e o motor for ligado você pode ficar à pé. Daí, é melhor levar um par de perneiras.

Link com mais informações:
http://www.trilhasrj.com.br/integra_dicasimportantes.php?secao=dicasimportantes&id=3

 

 

Fonte: João Roberto Gaiotto
CaminhoD, DPaschoal www.dpaschoal.com.br

 

0 Comments | Postado em Condução Off Road By Marcos Castro

Com que 4x4 eu vou?

Qual é o melhor 4x4? Land Rover Defender, a L200 Triton ou ainda o Grand Vitara?


Esta é uma pergunta recorrente em minhas turmas de curso 4x4 e grupos que participam de minhas viagens off-road.  E é complicada de responder, pois normalmente quem a faz tem um quarto carro completamente diferente destes três.
Se você me disser o que deseja ou espera de um 4x4 então acho que posso ajudar.

 


Para levar carga volumosa, manejar equipamentos pesados ou sacaria em lavoura por exemplo, a melhor opção é uma pick-up, independente de marca. Ela tem caçamba para a carga e se for cabine dupla ainda sobra espaço para levar passageiros. É uma boa opção para quem deseja fazer grandes viagens em rodovias e estradas de terra. O que deve ser levado em conta é o espaço interno para quem vai atrás e o mercado oferece dois modelos: aquele que tem e aquele que não tem. Azar de quem vai no banco de trás!

 



Se o conforto não é a prioridade, se o futuro dono não se incomoda com entrada de poeira na cabine, se não liga para ruído interno mas quer sim encher o carro com acessórios para fazer trilha off-road pesada ou explorar o mundo, então o Defender pode ser uma boa escolha. Iria ainda mais longe sugerindo o modelo com motor 300tdi. Com manutenção simples, sem eletrônica embarcada e conhecido no mundo todo, o Defender pode ser consertado por qualquer mecânico que saiba o que é uma chave, um alicate e um pedaço de arame.
E finalmente se a procura for por um carro esportivo 4x4 compacto com toque moderno e confiável para uma trilha off-road leve, então o novo Grand Vitara resolve a questão.

 

 

Além do que foi escrito acima, deve-se analisar também a motorização,  preço de seguro, logística com a manutenção e rede de concessionárias. Ter um carro que não é conhecido fora do país pode complicar a vida numa expedição aos países vizinhos e tornar a coisa mais complicada ainda se resolver viajar pelo mundo.
Finalizando, os três veículos citados pertencem a categorias distintas, não é possível compará-los para saber qual é o melhor. Depende da finalidade, sacou?!



Fonte: João Roberto Gaiotto
CaminhoD, DPaschoal www.dpaschoal.com.br

0 Comments | Postado em Condução Off Road By Marcos Castro

Mulheres na Lama

Em meus cursos de condução 4x4 sempre recebo mulheres interessadas em conhecer o mundo off-road.  Normalmente temos 1 de 4 motivos mais comuns: conhecer o carro que comprou para explorar melhor seus recursos sem risco de acidentes, precisar  trabalhar em áreas remotas, se preparar para uma grande viagem off-road há muito sonhada ou saber como dirigir um 4x4 para competir nos rallyes que proliferam em todo o país.

Mas uma pequena porcentagem de alunas acompanham o marido, noivo ou namorado porque eles inscrevem também a companheira.  Temos, então, uma situação diferente. A mulher fica intimidada com a presença do homem, que sentado ao lado, cobra qualquer manobra que possa fazer errado. Sempre que posso, solicito que ele a deixe sozinha no carro, ela se sentirá mais segura e confiante fazendo os exercícios com tranquilidade. Para este grupo de alunas o curso é uma oportunidade de superação. E o companheiro, mesmo morrendo de ciúmes do carro, percebe que dali em diante terá alguém para disputar o volante com ele.

Além do colorido especial que a presença feminina trás ao evento existe outro fator curioso: são elas as primeiras a tomarem iniciativa para alguma tarefa em campo. Se tem que conferir um atoleiro, lá vão elas na frente dos homens, se precisa fazer um resgate são elas que se oferecem primeiro.  Vejo isto com admiração, pois não encontro nisto o desejo de se sobrepor ao público masculino e sim a manifestação da natureza feminina, que cuida naturalmente das dificuldades ao redor, que busca proteger e superar os desafios.  Acho isto o máximo!

 

Fonte: João Roberto Gaiotto
CaminhoD, DPaschoal www.dpaschoal.com.br

0 Comments | Postado em Condução Off Road By Marcos Castro

Quem tem medo de trator?

Nesta semana, com dia especial dedicado às crianças, me ocorreu lembrar de minha infância no interior de São Paulo, quando tinha lá meus brinquedos, um triciclo e caminhõezinhos de madeira.

Um dia a coisa desandou com a chegada de um assustador trator de brinquedo. O que era para ser um presentão se tornou fonte de pavor, ele tinha motor elétrico para roncar e imitar o motor. Morria de medo daquilo, cada vez que meu pai ligava eu me escondia embaixo da cama. Só aceitei brincar com o tratorzinho depois que tiraram o motor dele. Eu não sabia, mas era meu primeiro veículo off-road.

Cresci e alguns anos depois tive meu primeiro contato com um 4x4. A primeira viagem em um Jeep a gente nunca esquece e ela aconteceu pelos idos de 1974. Daquela viagem curta nos arredores de Piracicaba, com o motorista, eu no meio do banco e meu pai à direita guardei duas lembranças claras. A primeira é da parada para abastecer, quando o dono disse que aquele bicho era um grande beberrão de gasolina. A segunda foi notar aquele círculo no meio do painel, parecia um grande e misterioso relógio que só tinha um ponteiro que subia e descia. Aquele carrinho esquisito pulava e achei aquilo, digamos, diferente.

 Hoje andando pelas ruas com o Land Rover já perdi a conta das vezes que vi crianças apontarem para o carro mostrando ao pai, mãe, irmão, etc. Certa vez um menino de uns 4 anos apontando e claramente vi a palavra “jipe” em seus lábios.

 Existe um adesivo que vez por outra vejo colado nos jipes e 4x4 em geral, ele tem os dizeres “A diferença entre meninos e homens é o tamanho do brinquedo”. Ele sintetiza a paixão que o 4x4 representa, mostra que os adultos são acostumados desde pequenos a estarem perto de um jipe através de brinquedos, desenhos, fotos e filmes. É inevitável, portanto, que uma parcela desta criançada de hoje venha a gostar do off-road no futuro. Precisamos manter o incentivo e cuidar para que nossas trilhas continuem abertas para eles.

 

 


 

 

“A diferença entre meninos e homens é o tamanho do brinquedo”

 

 

Fonte: João Roberto Gaiotto
CaminhoD, DPaschoal www.dpaschoal.com.br

0 Comments | Postado em Condução Off Road By Marcos Castro

A luz nossa de cada dia

 

Você já sabe que um dia de atividades ao ar livre pode irritar a pele com vermelhões e queimaduras, mas sabia que os olhos sofrem o trauma da mesma maneira?

Os responsáveis por isto são os raios ultravioleta e são classificados em A e B. O tipo A apresenta mesmo nível de irradiação durante o ano e o tipo B tem intensidade maior no verão, isto independente do céu estar claro ou coberto de nuvens. A dose de radiação que chega à superfície terrestre sofre aumento de nível entre 10h00 e 16h00.

Trilhas off-road, expedições e qualquer atividade ao ar livre devem ser acompanhadas de protetor solar em qualquer tempo. Seus olhos também precisam de óculos que bloqueiam a passagem de raios UV, para receberem a mesma proteção dispensada à pele.

Um bom chapéu também é extremamente recomendado e além destes itens escolha roupas que absorvem o UV, sem elas, os raios refletem no tecido e são devolvidos ao rosto e aos olhos, intensificando a exposição à radiação.

Beira de praia, piscina, montanhas e amplos desertos são perigosos durante o dia. O problema não é o incomodo momentâneo com a irritação na pele e o cansaço “na vista”, o pior pode vir com o passar dos anos: câncer de pele, glaucoma, catarata entre tantas outras doenças que você pode conhecer perguntando ao seu médico.

Se deseja repensar sobre o assunto marque uma consulta com seu dermatologista e oftalmologista, escolha o protetor solar adequado à sua pele e um bom óculos de sol.

Pra concluir, saiba que aproximadamente 80% das pessoas nunca tomou qualquer cuidado em proteger os olhos contra o raios ultravioleta. Se você é parte deste contingente, e não está acostumado a usar óculos, melhor começar a mudar de ideia.

 

 

 

Fonte: João Roberto Gaiotto
CaminhoD, DPaschoal www.dpaschoal.com.br

0 Comments | Postado em Condução Off Road By Marcos Castro

Pelo interior do Brasil

Se você procura um programa diferente para o próximo final de semana experimente explorar os arredores de sua cidade.

Sair do asfalto e conhecer um hotel fazenda próximo ou descobrir como chegar àquela cachoeira há tanto tempo falada pelos amigos, pode ser uma excelente desculpa para levar a família e seu 4x4 para um belo passeio. Muita gente pensa que off-road é só trilha pesada, atoleiros e buracos infernais onde malucos passam o dia destruindo seus carros e a noite cavando para se livrar da encrenca. Mas, as coisas não precisam seguir por este lado.

Com a quantidade enorme de SUVs 4x2 e 4x4 aptos a uma boa estrada de terra ou trilha leve, seus proprietários não sabem o que estão perdendo de diversão. Os arredores de cidades de qualquer porte sempre tem caminhos de grande beleza por entre serras, campos e fazendas .

Portanto, a segunda coisa que deve fazer é estabelecer a rota para 1 ou 2 dias de viagem, preparar um bom lanche para sua turma e cair na estrada. A primeira coisa você já fez, comprou seu 4x4. Use-o!

 

 

 

 

Paisagens de Campos do Jordão, acessíveis a um 4x2:
http://www.flickr.com/photos/tecnica4x4/sets/72157594513167764/

 

 

Fonte: João Roberto Gaiotto
CaminhoD, DPaschoal www.dpaschoal.com.br

0 Comments | Postado em Condução Off Road By Marcos Castro

O Descanso em Viagens

Horas e horas ao volante de um carro, jipe, trailer, ônibus ou caminhão. Seu organismo precisa descansar, esticar músculos, relaxar os olhos, se refazer da posição contínua na poltrona, do barulho constante do motor e da atenção cerrada na rodovia e veículos passando incessantemente por você.

Nenhum motorista é uma máquina e recuperar as energias para continuar a jornada é sinônimo de segurança para você, ocupantes do seu carro e outros motoristas na estrada.

O bom senso manda parar a cada período de 2 horas de direção. Escolha postos de abastecimento e restaurantes seguros para fazer a pausa. Aproveite para abastecer, lavar os para-brisas e faróis além de caminhar um pouco. Faça o lanche em pé, evite sair do carro para sentar de novo em uma cadeira, você não precisa descansar sentado! É impressionante o que 15 ou 20 minutos de intervalo ajudam e no final da história você não perdeu tempo, investiu em sua vida.

Existem muitas dicas para alongamento e falar delas aqui é chover no molhado, você encontra muita coisa sobre o assunto em revistas, web e artigos sobre terapia e bem estar. Mas, antes de terminar, quero passar uma dica importante: fazer xixi. Viajar com a bexiga cheia proporciona obviamente desconforto e ainda um risco pouco conhecido para sua vida. Sim, um acidente com impacto pode fazer sua bexiga romper e a urina vai lhe tirar a vida por envenenamento em questão de minutos. Melhor ir ao banheiro sempre que tiver vontade!

 

Fonte: João Roberto Gaiotto
CaminhoD, DPaschoal www.dpaschoal.combr

 

0 Comments | Postado em News By Marcos Castro

Snorkel coruja

O Snorkel foi desenvolvido para travessias em trechos com água. Vejo muita gente achando que ele foi projetado para travessias em terrenos com pó, e viram a cabeça do mesmo 180º. Snorkel não é coruja para rotacionar deste jeito. Para o pó, existe o filtro de ar do seu carro. Com ou sem snorkel, ele vai dar conta do pó. Ao de virar a cabeça do snorkel para trás, você vai restringir a entrada de ar do seu 4x4, ocasionando uma perda de potência e desequilíbrio na mistura ar/combustível. Você pode até não notar em trechos de baixa velocidade, mas certamente o motor vai estar trabalhando estrangulado. Para a chuva, existem as canaletas de drenagem, que não deixam a água chegar ao motor do seu carro. Certamente alguém vai perguntar: mas e os que vem de fábrica virados para trás? Pelas características do projeto de fábrica, esta restrição é levada em conta. Mas não se iluda... Quanto maior a velocidade, maior a restrição de entrada de ar. Este fato somente é minimizado no projeto. Agora, o snorkel como acessório acrescentado ao seu 4x4 deve estar virado para frente. Relevo somente a possibilidade de ser virar o snorkel em situações de deslocamento a baixa velocidade em terrenos de mata fechada, onde um galho poderá quebrar a tela frontal do mesmo. Fora isso, deixe o seu carro respirar!

 

 

 

Marco Guimarães
Armazém 4x4

0 Comments | Postado em Condução Off Road By Marcos Castro

E-LOCKER 19 ESTRIAS PARA JEEP

 

 

A Eaton, empresa fabricante de diferenciais com controle de torque, trouxe para o Brasil o bloqueio selecionável E-locker para ser instalado em Jeep Willys.

O acessório entra em ação através de um toque no botão de comando instalado no painel e não é necessário modificar as configurações originais do veículo.

Na peça, alterou-se a quantidade de estrias da engrenagem planetária e este E-locker vem com semi-eixo de 19 estrias.

Segundo a Eaton, o produto não apresenta ruído sendo  livre de manutenção.

 

Clique aqui e confira o produto na loja.

 

Fonte: Revista 4x4 e Cia edição 228.

0 Comments | Postado em produtos By Marcos Castro

As Mulheres no Off-Road


 Em nossos cursos Off-Road DPaschoal sempre temos mulheres participando. Algumas vezes se inscrevem sozinhas mas na grande maioria são trazidas pelos companheiros, que já participaram, ou que estão interessados no curso e vêem uma oportunidade para compartilhar o treinamento com a parceira de aventuras. Quem acha que aventura 4x4 é coisa de macho pode colocar as barbas de molho! Elas estão ocupando seu lugar de direito e com grande competência.
 E não importa a idade, estão sempre com o astral lá em cima, e jamais demonstram qualquer dificuldade em preparar um resgate com as grosseiras luvas de couro, cintas e desajeitados cabos de aço.  As filhas mais novas vibram com a performance, boa ou as vezes não tão boas, dos pais. Mostram que assim que puderem vão tomar sua posição ao volante e fazer suas próprias aventuras.

 

Preparadas para o que der e vier. (foto: Técnica 4x4)

 


 Quando pergunto a elas o motivo de participarem de um esporte que pode fazê-las retornarem para casa completamente emporcalhadas de lama e pó, ouço justificativas diversas e interessantes. A maioria adora estar junto do companheiro em suas aventuras, podendo compartilhar um final de semana agradável junto com o marido, filhos e amigos. Enfim, adoram a natureza e fazem o possível para estar junto dela.
 Também encontro mulheres que usam seu veículo 4x4, ou da empresa, para finalidades puramente profissionais, em tarefas realizadas em regiões remotas, seja como geóloga, engenheira florestal ou médica. É incrível a variedade de profissões que usam um 4x4 para se cumprir o trabalho, e é mais comum do que parece você encontrar um mulher determinada atrás do volante.

 


 

Encalhar faz parte de qualquer aventura off-road. Aluna aguarda a companheira preparar o cabo de aço para o resgate. (foto: Técnica 4x4)

 


 Não podemos esquecer os raids e as provas de rally, que preenchem o calendário brasileiro anual. Existem provas só para elas, como o Raid do Batom – só para duplas femininas e Raid Romeu e Julieta - para casais, que são realizado por vários Jipe Clubes no país. No universo do rally muitos pilotos estão mostrando a que vieram, em grandes provas nacionais como o Rally dos Sertões e mesmo lá fora temos todo ano intrépidas pilotos em provas duríssimas como o Rally Paris-Dacar e o extinto Camel Trophy.

 

 

Alegria e bom astral, um colírio para nossos olhos e espíritos cheios de poeira e lama. (foto: Técnica 4x4)

 


 E os homens, o que pensam delas? Ainda que esteja um pouco fora de moda, tem muito homem que acha as mulheres desajeitadas para off-road. Em um dos cursos off-road que realizamos com a DPaschoal e a Goodyear, um atoleiro respeitável tragou todos os carros pilotados por homens. Chegou a vez da primeira aluna e é claro que os machistas de plantão começaram a prepara cintas e cabos de aço para o resgate eminente. Ela engatou a marcha correta, entrou com firmeza e foi a primeira a passar sem resgate depois que 9 marmanjos encalharam com maestria inimitável. Não deixou barato e fez a rapaziada ficar de boca fechada.

 

 

Alunas do Curso Off-Road DPaschoal. (foto: Técnica 4x4)


 Outra alegação é a de que as mulheres não conseguem carregar peso, e que isto é coisa para a força masculina. Não concordo, depende da limitação física de cada um. Saibam que quando se precisa mesmo aplicar força física em uma trilha, poucos têm condições de ajudar, já que problemas diversos de saúde, verdadeiros ou não (!), são um álibi para desobrigar alguns rapazes a pegarem no pesado. Nestas horas aparece uma mulher da turma para dar uma força a mais e suprir a falta de mão de obra ocasionada pelos machos “quebrados”.
 O recado para elas é o seguinte: bem-vindas e não tenham nenhum receio, as aventuras 4x4 têm graus de dificuldades para todos os gostos, não é verdade que toda viagem ou trilha tenha que ser radical e complicada. Existem infinitas alternativas de viagem que vocês podem fazer sozinhas se quiserem, tranqüilamente com amigas e filhos e voltar pra casa cheias de histórias e fotos para mostrar. Para quem está começando agora recomendo nosso Curso Off-Road DPaschoal, onde terá contato com as dicas para entrar neste fascinante mundo 4x4 o pé direito.

 

Para mais informações
Autoria: João Roberto de Camargo Gaiotto
Curso de Condução Off Road DPaschoal: www.dpaschoal.com.br

 

  

 

0 Comments | Postado em Condução Off Road By Marcos Castro